Login do usuário

Cathy
Aramis

Os aplausos de duas damas do teatro

Embora acostumada a emoções, Denise Stoklos não esperava, na noite da última quinta-feira, 6, pelos abraços de duas pessoas muito especiais qua após aplaudirem, em pé, a penúltima apresentação de "Mary Stuart" fizeram questão de procurá-la no camarim do auditório Bento Munhoz da Rocha Neto: as atrizes Madalene Nichols e Maria Barreto Leite. Quem conhece o mínimo da história do teatro brasileiro sabe da importância destas duas Damas de nossos palcos. Atriz de montagens shakespeareanas e clássicos gregos (há mais de 15 anos, foi vista ao lado de Paulo Autran em "Édipo Rei"), Madalene Nichols é um dos grandes nomes do nosso teatro e se encontra em Curitiba, desde novembro do ano passado, tentando viabilizar um projeto - "Feira Nacional de Arte Cêcina", infelizmente cancelada por falta de condições financeiras. Já Maria Barreto Leite pertence a um matriarcado teatral: irmã de Luiza Barreto Leite, mãe da atriz e diretora Dudu e da modelo Vera, vê, agora, a terceira geração deslanchar: sua neta, a belíssima Mariana de Moraes, filha de Vera Barreto Leite e Pedro Moraes (filho do poeta Vinícius de Moraes), foi lançada pelo cineasta David Neves no papel central de "Fulaninha" (exibido há 40 dias no Lido II, à disposição em vídeo), Maria Barreto Leite não gostou do filme: - "Tive vontade de esganar o David. Mas gostei de Mariana. Sou avó coruja, não nego..." xxx Maria Barreto Leite está em Curitiba há um mês. Voltando ao Brasil após seis anos de Europa e 30 anos depois de ter, voluntariamente, abandonado os palcos, se animou a fazer um espetáculo experimental, "alternativo, pobre e marginal" - "Diálogos Comigo" que inaugura um novo espaço - o Teatro Colméia Selvagem (Avenida Batel, 590). Sozinha no palco, totalmente despojado, sem um roteiro prévio, Maria Barreto Leite, 71 anos, vai desenvolver uma proposta de total liberdade criativa, num espetáculo de vanguarda, polêmico e que se destina a uma faixa específica de público, neste novo espaço cênico - já com uma boa programação estabelecida para o mês de maio. xxx Tanto Madalene como Maria Barreto Leite foram entusiásticas em seus cumprimentos: Denise Stoklos é a grande atriz e mímica brasileira. Abraçando-a, falaram de seu entusiasmo, da emoção que consegue passar no palco, num espetáculo que Curitiba teve oportunidade de aplaudir em estréia nacional, e que no último fim de semana foi levado a Cuiabá, na primeira semana de junho estará em Havana - num teatro de 2 mil lugares - e, de volta ao Brasil, terá apresentações em Brasília. Nova viagem ao exterior, quando Denise irá a Freiburg, na República Federal da Alemanha e a Escócia, num festival comemorativo aos 400 anos da morte de Mary Stuart (1533-1587). Em São Paulo não há ainda data para o espetáculo estrear. "Dependerá de um bom teatro, em condições favoráveis", explica Denise. O Rio de Janeiro, então, só verá este espetáculo em 1988, pois no segundo semestre Denise retorna a Nova Iorque, a convite de Ellen Stewart, diretora do Mama Theatre, para ali fazer uma nova estréia mundial: sua adaptação para one woman show de "Hamlet", de Shakespeare. - "Mas é possível que eu venha apresentar novamente "Mary Stuart", pois em fevereiro, após duas semanas de casas lotadas, havia um público crescente."
Texto de Aramis Millarch, publicado originalmente em:
Estado do Paraná
Almanaque
Tablóide
17
12/05/1987

Enviar novo comentário

O conteúdo deste campo é privado não será exibido publicamente.
CAPTCHA
Esta questão é para verificar se você é um humano e para prevenir dos spams automáticos.
Image CAPTCHA
Digite os caracteres que aparecem na imagem.
© 1996-2009. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br