Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1985 - Fevereiro)

Viva a Noite com alegria do povão

Quase 20 anos após a morte de Paulo Wendt (1915-1966), uma dupla sonha em reerguer a noite curitibana com uma rede de casas dançantes: Aldo Cardoso e Celso José Lima, com os lucros obtidos na danceteria "Roda Viva", investiram alguns milhões na implantação da "Viva Maria" na Rua Cruz Machado e nesta semana inauguram o "Viva a Noite", na Praça Osório.

No campo de batalha

Nitis Jacon, médica da turma de 1957, da Universidade Federal do Paraná, uma das mais atuantes animadoras culturais de Londrina, mereceu menção especial da Associação paulista dos Críticos de Arte, pelos 25 anos dedicados ao teatro amador. A última montagem de Nitis, através de seu grupo Proteu, foi "Bodas de Café", que mostra a trajetória de Londrina, já apresentada em diversas regiões do Paraná, participou do Mambembão, foi levada a vários Estados, mas continua inédita em Curitiba. xxx

Sublime Maravilha (II)

"Today the world was just an address, A place for me to live in No better than a right But here you are And what was just a world is a star" (Stephen Sondheim)

Itamar e o canto livre do Araguaia

Está em Curitiba, Itamar Correia, 33 anos, uma das vigorosas revelações da música do Centro-Oeste e que está lançando um elepê ("Araguaia, Meu Brasil") considerado já uma das melhores produções independentes do período 1984/85. Veio especialmente para o musical de hoje programado pelo congresso da Juventude Socialista, hoje, às 20h30min, no ginásio do Tarumã, no qual estarão se apresentando também a dupla Zezé & Simões, Miran, grupos Andes e D'Ameryca e Rosy Greca. xxx

Amigos ouvintes, os vereadores falarão!

Quando a Câmara Municipal de Curitiba reiniciar as sessões plenárias, a partir de março, é possível que as atividades dos ilustres vereadores possam ser acompanhados com maior atenção pelos milhares de eleitores que, afinal, os conduziram ao Poder Legislativo. Uma das idéias debatidas pelos peemedebistas, durante reunião do prefeito Maurício Fruet com a bancada, na semana que antecedeu a eleição da nova mesa diretora, foi a de não só permitir, mas estimular, a transmissão radiofônica das sessões do Legislativo Municipal.

Os best-sellers de Hailey e Konsalik

Se o cometa Halley só aparece a cada 75 anos - e sua próxima passagem pela Terra será em 1986 - o romancista Arthur Hailey é bem mais constante. Escritor de grande regularidade e que elege temas específicos para seus livros - construídos como grandes reportagens - Hailey tem um público seguro em dezenas de países. Agora, depois de quatro best-sellers consecutivos, traz um novo romance com todos os ingredientes que lhe garantem uma fácil aceitação: "Remédio Amargo" (Editora Record, 486 páginas, tradução de Pinheiro de Lemos).

Trilhas: discotheque até ópera sem canto

Após ter sacado o grande modismo musical dos anos 70 - a industrialização do ritmo discotheque a partir de um anônimo trabalho em Munique que, em pouco tempo, teve na cantora Donna Summer, a grande superstar, Giorgio Moroder foi requisitado para criar trilhas sonoras.

Dos muitos Fagner, o brasileiro é melhor

Existem muitos Fagner. Há o Raimundo Fagner Cândido Lopes, cearense de Orós, nascido a 13 de outubro de 1950, caçula de uma família de cinco irmãos, que desde pequeno gostava de música e que aos 18 anos já vencia um festival de MPB do Ceará com "Nada Sou" e que, ao chegar ao Rio - após estudar algum tempo arquitetura em Brasília - ganharia o apoio de gente boa para o seu lançamento no Disco de Bolso, de Sérgio Ricardo, cantando "Mucuripe" (que Elis gravaria no mesmo ano).

Um clássico encontro de dois saxofonistas

Dentro do pacote de excelentes discos de jazz que editou em 1984, a Barclay incluiu algumas preciosidades que há muito os jazzófilos aguardavam. Entre estas, "Straight Ahead", histórica sessão que reuniu o saxofonista Oliver Nelson com outro virtuose do jazz, Eric Dolphy (Los Angeles, 20-6-1928 - Berlim, 29-6-1964), um dos maiores executantes de sax alto, clarinete e flauta da história do jazz.

A cantoria de Elomar, Xangai e seus amigos

Há tempos que não se ouve notícias de Elomar Figueira de Melo. Este trovador ibérico-baiano deve estar cuidando de seus bodes em suas fazendas no interior de Vitória da Conquista e compondo novas canções belíssimas retraçando a herança mourisca na música nordestina.

Geléia Geral - Astros cantam Natal para ajudar Etiópia

Lançado há algumas semanas, visando basicamente as festas de Natal, um compacto simples da Polygram merece ainda um destaque pela sua originalidade: "Do They Know It's Christmas" é uma belíssima canção de Natal que transcendeu seus objetivos exclusivamente natalinos e transformou-se em grande sucesso em todas as rádios do mundo e vendendo 1.200.000 cópias em uma semana. Bob Geldorf, líder do Boomtow Rats, um grupo inglês, tomou a iniciativa deste projeto. Junto com Midge Ure, do Ultravox, compuseram a canção e providenciaram para 38 famosos da gravação.

6 concertos de Amadeus Mozart

Seis concertos de Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) em três primorosos álbuns. Eis aí um pacote clássico para mozarteano algum botar defeito. De princípio temos um dos grandes violinistas virtuosos deste século, Pinchas Zukerman (Tel-Aviv, 1948), também regente dos mais requisitados, como solista e maestro da Saint Paul Chambert Orchestra, interpretando os Concertos nº1 e 2 para Violino e Orquestra que Mozart compôs antes dos 19 anos.

Quando o bar entra na boa literatura

O cartunista Dante Mendonça é um dos maiores apologistas do bar como espaço cultural. Bar, botequim, bodega, espelunca - não importa - é um território neutro (nem sempre), no qual se concentram pessoas à procura de um encontro, de um papo, de um amigo. Já se disse que pela história dos bares de uma cidade se pode contar a história de sua população e, contraditoriamente, raros bares tem sua História (com H maiúsculo) documentada. Abrem, vivem e morrem sem terem a glória de merecerem registros. Nem todos, é claro. Alguns se tornam pontos de referência em contos, novelas, romances.

A vida das enceradeiras e mistérios de Pedro Cobra

Aos que apreciam contos, dois lançamentos expressivos, nas livrarias: "Corações de Cristal ou a vida secreta das enceradeiras" de Bernadete Lyra e "Pedro Cobra" de Umberto Peregrino, ambas publicações da Livraria José Olympio Editora. Bernadete Lyra é uma escritora inovadora a partir do próprio título deste seu livro (84 páginas, capa de Willy, Cr$ 11.200,00), que abre com a citação do poeta Frank Wedekind ("O caminho é como se fosse um tapete de pelúcia - não pedras nem espinhos -/Os meus pés nem tocam o chão.../ Oh, como eu dormi de noite!").

Resgate das crônicas de Gabriel na década de 40

A aceitação que certos escritores conseguem com seus romances, novelas e contos é tão grande que justifica os editores a lançarem em livros, textos avulsos, publicados em diferentes épocas, na imprensa - jornais e revistas. Ganham com isto os leitores interessados na obra do autor, pois assim passam a ter reunidos aqueles textos que, de outra forma, dificilmente conheceriam. Só isto já faz com que se saúde "Textos do Caribe" de Gabriel Garcia Marquez lançados em português, em cuidadosa tradução de Joel Silveira, pela Record.

Márcio, agora com suspense político

Com "Galvez, o Imperador do Acre" o escritor amazonense Márcio de Souza transformou-se num fenômeno literário. Já traduzido para vários países, esta picaresca novela já vendeu 500 mil exemplares - soma que poucos outros escritores alcançaram. Bastante jovem e com intensa atividade editorial, Márcio uniu-se a Maria José Silveira e Felipe José Lindoso e fundou sua própria editora - a Marco Zero - pela qual tem saído importantes títulos.

Murilo, professor do realismo fantástico

"Murilo Rubião escreveu adiantado e publicou escondido", observou certa vez a professora Eliane Zagury. Nada mais verdadeiro. Tendo estreado em 1947, com o livro de contos "O Ex-mágico", o escritor mineiro foi um precursor - ele antecipou em mais de 20 anos à vaga do realismo fantástico, que pela primeira vez daria ressonância mundial à literatura latino-americana, e fama e fortuna a nomes como Gabriel Garcia Marquez, Júlio Cortázar e Jorge Luís Borges.

Dino redescobriu a linguagem proibida

O objetivo inicial de Dino Preti em "A Linguagem Proibida" era o de analisar a gíria como uma das manifestações da cultura popular, num dado momento histórico, a partir de um levantamento significativo do material lingüistico em revistas e jornais humorísticos de cunho popular. No entanto, a descoberta do "Dicionário Moderno" (1903), de Bock, deu uma outra dimensão ao seu trabalho.

Uma reedição dos contos de Cândido

José Cândido de Carvalho passou 25 anos entre o primeiro romance ("Olha para o céu, Frederico", 1939), para o segundo - "O Coronel e o Lobisomem" (1964, primeira edição de O Cruzeiro). Em compensação, depois que esta segunda obra se tornou best-seller (encontra-se agora em 33ª edição), José Cândido animou-se a publicar seus outros textos.

Um domingo de sol com a "Solidança" de Rita

Domingo à tarde na Festa da Uva, em Santa Felicidade, a Carreta da Fundação Teatro Guaíra levou um espetáculo diferente: a bailarina Rita Pavão apresentando um espetáculo-solo, de 45 minutos, com criações sobre vários temas. Foi a estréia de um espetáculo de dança que, em boa hora, será mostrado em vários bairros e algumas cidades do Interior, dentro do Projeto Carreta da Popularização da Arte. E a escolha de Rita para mostrar a arte da dança não poderia ser melhor.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br