Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1985 - Setembro)

Canto da fé que fatura bastante

Uma pauta para uma grande reportagem: o canto da fé. Um estudo de profundidade sobre um mercado paralelo na fonografia que existe há anos, com faturamento certo e que independe de divulgação na mídia imprensa e tem canais muitos próprios - algumas rádios, programas contratados e, especialmente, templos espalhados Brasil afora.

Da Irlanda à Escócia o pop do mundo jovem

Um dos aspectos da música pop after Beatles foi a internacionalização/ aceitação dos grupos pop. Independente de limites geográficos e unidos pelo som elétrico e uma linguagem esperanto - no caso, o inglês - grupos dos mais diferentes países unificaram-se numa aceitação jovem. Assim, seja da Austrália ou da Suécia, conjuntos de diferentes voltagens - mas identificados em sua estrutura jovem, aparecem constantemente.

Marina e Verônica , o belo e moderno canto

É necessário, sempre, estar de ouvidos atentos - e limpos em termos de preconceitos - para entender as mutações sonoras de cada época. Por exemplo, para quem entende a MPB em termos de interpretação tradicional, admitindo-se como padrões únicos de canto feminino uma linha que vai de Dalva de Oliveira a Elizeth Cardoso, a audição de cantoras jovens como Marina Lima "Todas", Polygram) ou a estreante Verônica Sabino ("Metamorfose", Polygram) pode chocar. Para não dizer irritar.

Memórias destes que já se foram

Mais do que um disco, a saudade: "Memories", montagem coordenada por Ney Padilha Filho/ Mário F. Bastos, pra lançamento via SBT, traz nostálgicos momentos da carreira de três grandes nomes da música americana, todos já falecidos: Louis Armstrong, Bing Crosby e Earl Grant.

O exemplo editorial dos pampas

O Rio Grande do Sul é o único Estado do Brasil que possui um Instituto Estadual do Livro. Conseqüência da política inteligente e competente que ali é desenvolvida há anos, os gaúchos têm já 8 atuantes editoras - desde as que se voltam exclusivamente a autores regionais (como o velho mercador de livros Manoel Martins) até casas moderníssimas, com a L&PM, que disputam o mercado nacional com lançamentos up to date.

Afinal, quem não viu ainda Disco Voador?

Os ufologistas reuniram-se em Curitiba há algumas semanas. No último dia 21 de agosto, OVNIs foram vistos em algumas cidades do Paraná.

De Feminismo, educação e até o romance glacial

"O Feminismo é um Humanismo", de Rachel Gutierrez (Nobel, 135 páginas, Cr$ 25.000), é um livro que reflete e discute um tema de atualidade, especialmente radicalizado a partir dos anos 60: o feminismo. Partindo de uma concepção filosófica, Rachel Gutierrez procura mostrar o que é a condição feminina na atualidade e porque lutam as mulheres.

Reprises numa semana que tem até um filme bíblico

Uma semana sem estréias excepcionais - embora continuem a existir boas opções para o público. Um destaque especial é o aguardado "Noite do sertão", de Carlos Alberto Prates Correia - premiado em Gramado no Festival de 1984 e só agora chegando à tela do Cine Ritz. Ainda hoje, no Astor, o vigoroso "A História de um Soldado", de Norman Jewison que se espera, continue em cartaz ao menos até a próxima quarta-feira. Entretanto poderá ser substituído já amanhã pelo elogiado "Birdys - Asas da Liberdade", de Alan Parker - premiado em Cannes e tido como um dos melhores filmes do ano.

"Noites do Sertão", o melhor Rosa no Cinema

O mineiro Carlos Alberto Prates Correia é um cineasta que tem sido muito bem sucedido em termos de aceitação crítica de seus filmes. Em 1975, seu segundo longa-metragem (o primeiro, "Criolo Doido", de 71, poucos viram), "Perdida", ganhou o Coruja de Ouro como melhor filme e mereceu ainda o troféu de melhor trilha sonora para Tavinho Moura. "Cabaret Mineiro", levado ao Festival de Gramado em 1981, arrebatou os principais prêmios: filme, direção, ator, atriz coadjuvante, fotografia, montagem e mais um Kikito para Tavinho Moura - pela trilha sonora.

Geraldo Flach, um piano maravilhoso

Injustiças sempre acontecem em qualquer competição. Mas na eliminatória dos Festivais dos Festivais, na noite de 24 de agosto, em Porto Alegre, a não classificação de "Pátria Amada", do pianista Geraldo Flach/ Jerônimo Jardim, defendida pela cantora Solange, foi das mais gritantes. Uma música belíssima, com excelente harmonia e poética letra mereceria, sem favor, chegar à finalíssima. Enfim...

Davis, sempre revolucionário

MILES DAVIS é incrível e único. Quase sexagenário - nasceu em 25 de maio de 1926, em Alton, Illinois - Miles Dewey Davis parece ter uma espécie de síndrome de Peter Pan em termos de criatividade. Usina de alta voltagem musical que há 40 anos vem passando por todas as escolas revolucionárias do jazz - do bepop ao roc-fusion ("Bitches Brew", 68) Davis retornou com força após alguns anos de afastamento. "Decoy", do ano passado, foi o "Album of the Year" da rigorosa Down Beat e lhe valeu a indicação Grammy na categoria jazz fusion.

A luta pelo poder dentro da Funarte

Normalmente, a passagem de uma executiva da Funarte pela Capital paranaense ficaria limitada a um pequeno registro de jornal. Entretanto, a chegada de Maria Luiza Librandi a Curitiba, na próxima segunda- feira, deverá justificar uma pauta especial. Afinal, nos últimos meses, Maria Luiza (a "Lulu", como é carinhosamente chamada) tem estado às turras com o presidente da Fundação Nacional das Artes, o cartunista Ziraldo Alves Pinto - uma guerra em escalada admitida pelo próprio ministro Aluisio Pimenta, da Cultura, e que poderá levar a uma alteração na cúpula da instituição.

AIDS nos palcos e a preocupação de Phil

Diretor de uma das mais originais e criativas escolas de Inglês de Curitiba, o norte-americano Phil Young, (45 anos - 19 de Brasil) foi um dos primeiros que se preocuparam com a epidemia do AIDS nos Estados Unidos e suas naturais conseqüências para outros países. Ligado durante muitos anos ao ensino da Medicina, função que exerceu em várias universidades brasileiras, Young tem a consciência tipicamente norte-americana de que é necessário haver amplo esclarecimento dos problemas como a melhor forma de se dar combate aos males.

Artigo em 03.09.1985

Sivuca (Severino Dias de Oliveira), 55 anos, acordeonista e compositor, e Glorinha Gadelha, cantora e compositora, deram um exemplo de solidariedade aos músicos que os acompanham. Ao chegar a Curitiba, na última quinta-feira, ficaram chocados com mais uma (das muitas) grosseria da Secretaria de Estado da Cultura e do Esporte: só um apartamento para o casal havia sido reservado no Hotel Elo. Os músicos deveriam ficar no Hotel Califórnia.

De Kalafe, o êxito na América Latina

Denise De Kalafe, paranaense de Ponta Grossa, há 12 anos residindo na Cidade do México, continua entre as superstars da canção latino-americana, enquanto no Brasil permanece esquecida - sem um único disco aqui editado. No último dia 23, a United Press International distribuiu a listagem dos discos mais populares da América Latina, em várias Capitais, com a paranaense De Kalafe em destaque. xxx

Cinema se aprende agora com o André

Está passando meio despercebida, em Curitiba, desde outubro do ano passado, a presença de um talento do cinema brasileiro: o fotógrafo e cineasta André Faria.

Airto e Flora , o sucesso em lisboa

"Diestros". Eis a palavra que o jornalista Manuel Neto, do jornal "O Popular", de Lisboa, encontrou para definir a apresentação de Aito Moreira e Flora Purim na Praça de Touros de Campo Pequeno, na Capital portuguesa, há algumas semanas. Matéria de duas páginas do jornal foi destinada ao espetáculo, promovido pelo Partido Socialista e ao qual esteve presente até Mário Soares, um dos mais entusiásticos a aplaudir Airto e Flora. xxx

João Antônio, o autor universal

Antes de partir para a Europa, onde durante 70 dias percorreu Portugal, Alemanha e Holanda, proferindo uma série de conferências, o escritor João Antônio - autor de Malagueta, Perus e Bacanaço e Leão de Chácara, entre outras obras - acreditava ter pronto um novo livro de contos. Por este livro, inclusive, recebeu o Prêmio Nacional de Literatura Cidade de Belo Horizonte. Mas, recém-chegado, descobriu que ainda tem muito a refazer até dar por concluído este volume, cujo título, supersticioso que é, prefere não revelar por enquanto. A viagem ele conta, "mexeu fundo" com sua cabeça.

Para conhecer a política nos EUA

Coincidência ou não com as eleições do próximo dia 15 de novembro, estão surgindo muitos livros de tema político - desde um manual de marketing eleitoral, do especialista Francisco Gaudêncio Torquato do Rego ("Marketing Político e Governamental", Summus, 88 páginas) até volumes específicos sobre a política norte-americana.

Morte sem medo no livro de Maranhão

O professor José Luiz de Souza Maranhão, da Universidade Católica do Paraná, acaba de lançar nacionalmente um livro com tema dos mais inquietantes: "O que é morte". Trata-se de um ensaio que focaliza com categoria o fenômeno da morte sob vários ângulos: antropológico, político, psicológico e filosófico.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br