Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1986)

Pelão faz mais um belo LP-documento

A MPB deve muito a Pelão - João Carlos Botezelli, um dos maiores defensores de nosso patrimônio musical. Produtor de lps históricos como os de Cartola, Adoniram Barbosa e a série "História das Escolas de Samba do Rio de Janeiro", Pelão foi um dos talentos que ajudou a Marcos Pereira (1930-1980) a formar um catálogo marcante. Por todos os lugares em que tem passado - gravadoras, rádios, estações de televisão etc., Pelão deixa a marca de seu talento, de sua brasilidade, sempre corajoso na defesa de nossa melhor música popular.

Outro Barnabé. Agora a vez do mano Paulo

Há anos que Paulo Barnabé, guitarrista, vem acompanhando seu irmão, Arrigo. Agora, quando o irreverente e criativo compositor londrinense já obtém a consagração como autor-maldito e firma-se como ator - depois de "Nem Tudo é Verdade", de Rogério Sganzerla (no qual interpreta Orson Welles) e o recém-concluído filme de Chico Botelho - o mano Paulo também decidiu fazer um vôo solo. Associando-se a dois amigos - o guitarrista André Fonseca e o baterista James Muller, Paulo Barnabé gravou no final do ano passado um lp independente ("Patife Band"), com apenas seis faixas.

As estréias só irão acontecer na quinta

Como Carnaval é época de vacas magras em termos de público cinematográfico - afinal, parece que todo mundo vai à praia ou cai na folia do rei Momo - há aquele público que não gosta de Carnaval, não viajou e poderia ter uma opção cinematográfica se houvesse lançamentos. Infelizmente, nenhuma estréia nesta semana - mantendo-se os filmes que já vêm sendo exibidos e apenas uma reprise - das mais oportunas, aliás: "Amadeus", de Milos Forman, da peça de Peter Schaeffer - em cartaz no Cinema I, em duas sessões (15 e 20h30 min). Uma obra-prima de revisão obrigatória.

A ópera chega cada vez mais nas telas

No dia 7 de outubro último, na Tunísia, o diretor Franco Zeffirelli começou a rodar "Otello", da ópera de Verdi, com o mestre Ennio Guarnieri cuidando da fotografia e tendo no elenco o tenor Placido Domingo ao lado de outros nomes marcantes do bel canto como Katia Ricciarelli, Justino Diaz e Petra Malacova. A produção é da Cannon, com a parte executiva a cargo de Meneahem Golan, que em página dupla na edição de 16 de outubro de 1985, do "Variety", já anuncia mais esta superprodução, levando à tela um dos clássicos de Verdi, realizado pelo mesmo diretor de "La Traviatta".

O melhor de nossa música para as rádios do mundo

Ao patrocinar a edição de "Caymmi - Som/ Imagem/ Magia" com o livro de Marília T. Barbosa e Vera Alencar em edição bilíngüe e os dois lps com Dorival Caymmi interpretando sua obra, a Fundação Emílio Odebrecht desenvolveu uma importante contribuição para difundir a obra de um dos nossos maiores autores em termos internacionais. Afinal, da edição de 3 mil exemplares, algumas centenas foram enviadas a instituições culturais e jornalistas ligados à música em várias partes do mundo.

Caymmi, som, imagem, magia

"Que são setenta anos, diante da melodia que não conta tempo, não envelhece, enquanto as modas de cantar se sucedem e quase nada de música existe mais do que uma estação? Não há dia seguinte para o cancioneiro de Caymmi. A flor que o vento joga no colo da morena de Itapoã não murchou ainda. Murchará um dia? Não creio. O que está na voz de Caymmi a gente guarda como faz com as coisas de estimação. E ao ouvi-la em casa, na rua, no ar, é sempre a emoção de um bom encontro. Incorporou-se ao patrimônio de arte e coração do Brasil. Ninguém o apaga ou destrói".

Mangueira homenageia neste Carnaval o grande Dorival

Mangueira vê no céu dos orixás O horizonte rosa, no verde do mar A alvorada veste a fantasia Pra exaltar Caymmi e a velha Bahia, ô, ô, ô

Surpresas e decepções nos sambas das escolas

A chuva, e o inesperado frio que apareceram justamente nas noites de Carnaval, prejudicando os desfiles das Escolas de Samba, somados ao adiantado da hora (passava das 3 da manhã) fizeram com que menos de 10% das quase 60 mil pessoas que, na noite de domingo, horas antes, haviam se acotovelado na Marechal Deodoro, assistissem o desfile da Escola de Samba Treze de Maio, que apresentou o enredo "União de Raça e Cor".

Até bandeira faltou no Carnaval do Leão

Na noite de domingo, quando a Escola de Samba Leão e Ouro, da Vila Hauer, desfilava na Avenida Marechal Deodoro, o advogado Cupertino Amaral, 55 anos, carnavalesco desde os anos 40, que julgava o item Mestre Sala e Porta Bandeira, surpreendeu-se: ao invés da bandeira da Escola, a Leão de Ouro desfilava com as cores da Acadêmicos da Sapolândia.

Agora, o painel de Poty no Curitibano

Pory Lazarotto esteve na cidade e desta vez trouxe um novo projeto para mural. A pedido de seu amigo, o advogado Constantino Viaro, presidente do Clube Curitibano, o nosso mais famoso artista plástico desenvolveu o projeto de um grande mural para o hall de entrada na sede da Avenida 7 de Setembro. xxx

A harmonia do Carnaval e o reinado de "Bola"

Convidado para julgar o item harmonia, o carioca Edvaldo Mendes dos Santos, 33 anos, fundador do Bloco da Vila Kennedy, integrante também dos Filhos de Gandhi - com o qual desfilou na noite de terça-feira, de volta ao Rio - e ex-diretor de harmonia da E.S. Império serrano, mostrou-se surpreso com a timidez dos carnavalescos curitibanos. "Nunca imaginei ver um Carnaval em que o pessoal tivesse uma sensação de vergonha de cair no samba" comentava do alto de sua cabine de jurado, na noite de sábado, quando saíram as primeiras escolas.

Pára-Raios não conseguiu rever seu amigo Requião

O excesso de zelo da assessoria do prefeito Roberto Requião o impediu que pudesse abraçar um dos seus grandes amigos dos turbulentos anos 60: o ator, diretor e hoje jornalista (do "Correio Brasiliense") Ary Pára-Raios. xxx

Os revólveres não atiram serpentinas

- Faz parte da indumentária! Com esta declaração, o coronel Furquim, comandante da Polícia Militar, justificou, na noite de sábado, a presença de tantos policiais portando revólveres de grosso calibre no policiamento da Marechal Deodoro. Para uma festa popular, na qual se supõe não devem acontecer incidentes maiores, a presença de policiais usando revólveres não deixa de ser constrangedora.

Um centro para o melhor inglês

O professor Roberto George Camington, diretor da Sociedade Brasileira de Cultura Inglesa, está dinamizando a tradicional instituição - que hoje já tem duas sedes (uma na Rua General Carneiro, outra na Júlia da Costa) e conta com mais de 2.500 alunos. Assim, acaba de criar um Centro de Pesquisas Avnçadas para o melhor ensino da língua inglesa.

O projeto nacional do "golden boy" Leminski

Paulo Leminski, 40 anos, o golden boy de nossa vida intelectual, passou o Carnaval trabalhando na nona tradução que faz para a Brasiliense: "A Morte de Malone", obra escrita por Samuel Beckett, 80 anos, em 1951. Trabalhando sobre os textos em inglês - "Malone Dies" - e francês - "Malone Meurt", Leminski aceitou esta tradução pelas dificuldades apresentadas nos textos de Beckett, Prêmio Nobel de Literatura e que, irlandês, foi secretário de James Joyce por alguns anos.

Ivo fala da briga e faz ameaças ao maestro Aldo

Ivo Lessa, advogado, cantor lírico - e também o chefe da assessoria técnica da Casa Civil do Palácio Iguaçu - telefonou a propósito da notícia aqui publicada (13/1/86) [04/02/86] em relação aos problemas que o maestro Aldo Hasse vem tendo em decorrência de seu idealismo em fazer duas temporadas da ópera "La Traviatta". Conforme aqui relatamos, o maestro Hasse, através do Madrigal Pró-Arte, confiante no apoio oficial, se dispôs a montar a ópera de Giuseppe Verdi e, no final, teve prejuízos que hoje ultrapassam Cr$ 130 milhões.

Declaração de voto

Para esclarecer mal entendidos: a convite da Associação das Escolas de Samba e Blocos Carnavalescos de Curitiba e da Comissão Executiva do Carnaval, integramos, mais uma vez, o júri. Ao lado de Paulo Cesar Loureiro Botas, frei dominicano, assessor da FCC, compositor e cantor, julgamos o item Samba-de-Enredo.

A briga política por verdes votos

Nos bastidores do encontro que ecologistas e políticos promovem em Curitiba, neste final de semana, há uma guerra não muito santa e nada ecológica, entre dois ex-integrantes do governo José Richa que sonham com uma cadeira na Constituinte embalados pelo verde apoio dos ecologistas. O radical, nervoso e rude Claus Germer, ex-secretário da Agricultura busca a simpatia dos ecologistas em termos eleitorais.

O jazz francês do excelente Bolling

Por uma daquelas ironias que tão bem demonstram o subdesenvolvimento musical no Brasil em termos de informação jazzística, foi necessário que há 13 anos o compositor Marvin Hamlisch resgatasse a obra de um dos mais geniais compositores-intérpretes americanos, do início do século, Scott Joplim (Taxarkana, Texas, 24/11/1868 - Nova Iorque, 11/4/1917) ao incluir seu clássico "The Entertainer" na premiada trilha sonora de "Um Golpe de Mestre" (The Sting, de George Roy Hill) - Oscar de melhor sound track adaptada - para que, indiretamente, começasse a chegar ao Brasil a obra de outro gênio do ja

As grandes sinfônicas com três belos álbuns

Sem dúvida, a vinda da Filarmônica de Viena, regida pelo internacionalmente consagrado Lorin Maazel, ao Rio e São Paulo, no ano passado (Curitiba, naturalmente ficou de fora) deve ter contribuído para que aumentasse ainda mais o interesse pelas gravações sinfônicas regidas por Maazel, 56 anos, regente e violinista norte-americano, francês de nascimento, há 5 anos na Áustria.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br