Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1989 - Dezembro)

A Igreja dos Oprimidos, um filme de utilidade pública

Lançamentos simultâneos nas telas e nas locadoras para estimular o cinema brasileiro. A questão é polêmica, pois enquanto muitos defendem esta política, outros acreditam que a opção do vídeo faz com que as bilheterias nos circuitos se reduzam cada vez mais.

A palavra de Ermírio de Moraes

Em 1956, quando houve o primeiro jantar da Boca Maldita no Grande Hotel Moderno, o presidente era Juscelino Kubistchek de Oliveira, eleito um ano antes - iniciando aquele que foi o governo das grandes metas. Nestes 33 anos de existência da Boca, a política sempre foi um componente dos pratos servidos ao jantar - nos primeiros anos no Grande Hotel, depois passando para a Sociedade União Juventus, com a arte culinária de tia Anastácia (só com a sua morte, o jantar transferiu-se para o Thalia, após um intermezzo de um ano em que esteve no Atlético).

Na batalha da Boca

Como a Boca Maldita é hoje uma instituição nacional, na definição do próprio presidente fundador Anfrísio Siqueira, as comendas distribuem-se para pessoas vindas de várias partes do Brasil. No ano passado, dos 645 presentes, a maior parte era formada por pessoas de outras cidades. Este ano, devido as eleições de domingo, muitos convidados não puderam comparecer.

Trapalhões disputam público com os Caça-Fantasmas e Viagens ao Futuro

"Os Trapalhões na terra dos monstros", desde ontem em lançamento nacional (em Curitiba, cines São João, Lido II e Itália) deverá permanecer dois meses em cartaz, com casas lotadas. O mesmo esquema de cinema descompromissado, juntando-se a Aragão, Dedé Santana, Mussum e Zacarias, outros nomes popularizados pela televisão - como a ninfeta Angélica, o cantor Conrado, a top model Vanessa de Oliveira, Gugu Liberato, grupo Dominó, mais Benjamin Cattan e a veterana Gerogia Gomide.

Os novos tempos da Boca Maldita

"A Boca Maldita jura fazer deste nosso imenso país a grande democracia ocidental, onde a liberdade de expressão do pensamento e os Direitos Humanos constituam as bases fundamentais de nosso desenvolvimento." (Anfrísio Siqueira, presidente da Boca Maldita) xxx

A arte visual das mulheres na beleza da nova "Gráfica"

Em mais um grande momento de inspiração, o criativo Ivens de Jesus Fontoura, múltiplo em suas atividades - artista plástico, professor, designer, fotógrafo e eficiente coordenador de Museus da Secretaria da Cultura, acertou mais uma vez. A I Bienal do Designer Brasileiro, lançada oficialmente em coquetel na noite de quinta-feira, no Bourbon Tower, tem tudo para emplacar como um grande evento. Ivens soube costurar a participação de todas as entidades ligadas ao designer, buscou o patrocínio na iniciativa privada - via Grupo Trombini - além do Banestado) e a promoção agora vai deslanchar.

O belo som da Orquestra de Câmara de Blumenau agora em CD

Finalmente o produtor Romário Borelli, do Estúdio Álamo, responsável pela coordenação na edição do primeiro álbum da Orquestra Sinfônica do Paraná, entregou ao superintendente da Fundação Teatro Guaíra, Constantino Viaro, os primeiros exemplares do álbum - cuja distribuição começará agora.

No campo de batalha

Está assim constituído o conselho fundador da Bienal Brasileira de Design: Ivens de Jesus Fontoura, coordenador de Museus da Secretaria da Cultura e idealizador do evento, é o presidente do grupo, tendo Cláudia Lambach como suplente. Há representações da Universidade Federal do Paraná (Airton Caminha Gonçalves Jr. e Fernando Bini); Federação das Indústrias (Mário de Mari); Associação Profissional de Desenhistas Industriais (Alceu Bonfim e Itanel Quadros) e do Laboratório Brasileiro de Desenhistas Industriais (Eduardo Barroso Neto e Marcelo Resende). xxx

Narinha, Nana e Leila, com o máximo de emoção

Colocados no mesmo suplemento de final de ano, os álbuns de Nara Leão - que nos chega com a emoção maior, por se tratar de uma obra póstuma em sua edição; a gravação ao vivo de Nana Caymmi no Festival de Montreux, na Suíça, em julho último - acompanhada por Wagner Tiso nos teclados; e o revival da Bossa Nova na voz de Leila Pinheiro são momentos especialíssimos.

O canto das mulheres no fim de uma década

O ano encerra, como sempre, com superstars fonográficos, capazes de esquentar um mercado que sofre naturalmente, os reflexos da inflação (o disco já ultrapassou a barreira dos três dígitos, deixando de ser um produto ao alcance da empbrecida classe média) e assim a disputa acontece entre estrelas como Roberto Carlos - como sempre, em seu elepê anual, colocado nas lojas somente em dezembro, Simone, Beth Carvalho, Alcione, entre as mulheres mais famosas.

As meninas de 44 no Colégio Cajuru

A máquina do tempo passou por Curitiba na semana passada. Foi uma nave iluminada pelo encanto dos anos dourados das meninas que nela embarcaram e que, 45 anos depois de terem recebido seus diplomas de ginásio do Colégio Cajuru, decidiram fazer uma nostálgica viagem a um tempo que está presente na memória de todas que durante todo um dia se reuniram.

Maria Thereza, o passado a espera

Anos atrás, um texto de Maria Thereza Lacerda sobre o Colégio Cajuru causou polêmica. Sem meias palavras lembrou o ensino rigoroso, quase radical que as religiosas francesas ali implantaram nos anos 40/50. O discurso que Maria Thereza fez no jantar reunindo as colegas do ano de 1944 - que receberam seus diplomas do curso ginasial a 15 de dezembro, uma sexta-feira - foi bem humorado desde o início.

A grande noite de Charles Degula para finos paladares

Há algumas semanas, Charles de Gula - leia-se, Alexandre Krasinski - foi convidado para jantar na casa de um casal de arquitetos. Só que o número de convidados ultrapassou a previsão e, desesperada, a dona-da-casa disse para Alexandre, assim que ele chegou: -"Não sei o que vou fazer. Havia me preparado para servir um jantar para 20 pessoas e chegaram 30." Charles Degula acalmou a amiga: -"Não se preocupe. Deixe-me a vontade na cozinha, mostre o que sobrou de ingredientes que garanto um segundo prato".

No campo de batalha

Uma prova da popularidade de Dercy Gonçalves. Aos 82 anos, esbanjando jovialidade e irreverência, a veteraníssima atriz lotou por duas noites o grande auditório do Guaíra, para alegria do empresário Vanderlei Rodrigues, que promoveu esta temporada da atriz "Uma Certa Lucrécia" (um dos muitos filmes por ela estrelado). xxx

Um testamento visual do mestre John Huston

Inesperadamente, na semana passada, houve o relançamento de um dos 10 melhores filmes deste ano: "Os Vivos e os Mortos" (Cine Groff, ainda hoje em exibição, 5 sessões). Canto-de-cisne de John Huston, realizado entre 1986/87, quando o cineasta já estava gravemente doente - viria a falecer no dia 28 de agosto de 1987, antes mesmo de sua estréia - "The Dead" é, entretanto, um filme perfeito, um autentico testamento de um dos cineastas mais importantes de nossa época e que nem sempre teve a devida valorização em sua obra intensa - como roteirista, diretor e ator.

Documentário sobre o homem e o aventureiro

Entre as centenas de opções visuais levadas ao VI FestRio, em sua edição Fortaleza (23 de novembro/02 de dezembro), nenhum filme era tão aguardado pelos cinéfilos como o documentário "The man, The Movies, The Maverick - John Huston", que desde sua premiére mundial, ocorrida a 12 de junho deste ano, no Festival de Cinema de Montreal, tem extasiado os hustonianos. Naquela cidade canadense, o jornalista João Luiz Albuquerque, assessor de imprensa do FestRio, assistiu ao documentário e decidiu: o mesmo teria que ter uma projeção no FestRio-89.

A guerra do amor em "Love Hysteria"

O grupo Moenda encerra com paixão e num cenário espanhol a temporada teatral do ano, em Curitiba. É a peça "Love Hysteria", que estréia às 21h de hoje no Guairinha, onde fica até dia 30. Traçando uma trajetória que vai das Astúrias à Málaga, na Espanha, Braga, em Portugal, e Curitiba, no brasil, o autor e diretor Hugo Mengarelli coloca seus personagens num espetáculo que tem muito de sua visão cinematográfica, tendo como enredo "a paixão, a traição e as lágrimas na relação do amor".

Um basta na exploração dos estacionamentos

O prefeito em exercício, Algacy Tulio, deverá se preocupar neste curto período em que substitui a Jaime Lerner - desde o último domingo, em Nova Iorque, onde passará o Natal - com uma importante questão: irregularidades que estão ocorrendo em alguns estacionamentos de Curitiba. No mínimo, Algacy Tulio, deputado estadual e ex-vereador, atento com problemas que atingem os contribuintes, deverá apoiar um oportuno projeto que o seu correligionário do PDT, vereador Jair Cezar, apresentou há seis meses na Câmara e que deverá ir ao plenário tão logo a Câmara retome seus trabalhos.

Hugo e sua "Love Hysteria" encerram temporada teatral

Quando já se imaginava que a temporada de 1989 havia encerrado, eis que este incrível argentino-curitibano, Hugo Mengarelli, estréia uma nova peça ("Love Hysteria", de hoje ao dia 30, auditório Salvador de Ferrante). O fato da época ser a menos recomendável para uma estréia teatral - afinal, as festas de fim-de-ano, em seus múltiplos desdobramentos, fazem com que poucos se interessem em ir ao teatro, não assusta Mengarelli, que há uma década em Curitiba tem sido um agitador cultural de muita voltagem.

"Retratos da Vida" e outros bons títulos

Em 1990 a 20th Century Fox também vai entrar no mercado de vídeo. Com isto, todas as chamadas majors - ou seja, as grandes produtoras americanas - estarão no Brasil, fazendo edições legais de seus filmes e reduzindo as chances da pirataria ( no Paraná, muitas locadoras ainda insistem nesta fórmula). A Warner foi a distribuidora do ano, com laçamentos explêndidos, muitos feitos em colaboração com a cadeia Breno Rossi que os tem comercializado em suas lojas, já que afora as locadoras há também o interesse dos colecionadores - mesmo com o custo de NCz$ 500,00 a unidade.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br