Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1989 - Dezembro)

As vozes que a Revivendo traz

Até março de 1990, o catálogo da Revivendo deverá atingir 60 títulos. Isto porque Leon Barg não se assusta com os tempos bicudos e continua reeditando o que acha de mais importante em sua preciosa coleção - mais de 30 mil 78 rpm, milhares de elepês - dos quais extrai os fonogramas mais significativos. Ayrton Pisco, um ex-oficial da marinha que dispõe da mais avançada tecnologia (e paciência) para tirar os chiados das gravações feitas há 60 ou 40 anos passados, cuida da remixagem e os discos da Revivendo trazem preciosidades para que se conheça o melhor da nossa MPB.

Abismo oceânico é a única estréia na semana de Natal

Nesta penúltima semana do ano, com festas e preparativos para as férias de verão, a temporada cinematográfica é de vacas gordas. Lançamentos especiais, com público alvo nas platéias infanto-juvenis, em condições de qualidade. Mas rendas abaixo do que se esperaria - considerando-se anos anteriores. O que é natural, já que a crise financeira atinge a classe média e "c" - ainda as que mais frequentam os cinemas, já que nas classes "a" e "b" superior, a opção fica por conta do vídeo cassete.

A Philharmônica Brasileira já é uma realidade no palco

Criada, no papel, há um ano, a Orquestra Philharmônica Brasileira, materializou-se no palco com uma centena de músicos escolhidos com o máximo rigor, para um memorável concerto realizado sábado passado no Municipal do Rio de Janeiro. Na regência o mais jovem maestro do País: Maximianno Cobra, de 20 anos.

Curta-metragens serão finalizados

Ruy Collett Solberg, presidente da Fundação do Cinema Brasileiro, enviou ofício ao secretário René Dotti, da Cultura, informando que ainda este mês os cineastas que realizaram quatro filmes em curta-metragem através de convênio entre a Fundação e a Secretaria receberão o pagamento dos valores compromissados atualizados em BTN, diretamente aos produtores contratados através de Ordens Bancárias e de aberturas de créditos em laboratório cinematográfico.

Os urros de Leon sobre a garimpagem do bom som

Quando idealizou reeditar muitas das preciosidades em 78 rpm que acumulou ao longo de mais de 40 de seus 59 anos de vida, o pernambucano Leon Barg já imaginava que sua iniciativa viria, para usar uma frase clichê, preencher um espaço em nossa memória cultural.

Stelinha, a nossa cantora de sucesso

Stelinha Egg, a primeira -, ironicamene, até hoje única cantora paranaense que obteve uma real projeção nacional - ganhou um inesperado presente de Natal, na semana passada: um disco com sete gravações feitas entre 1944/52, na Continental e RCA, que Leon Barg remixou para uma cuidadosa reedição.

Sulina editará obra completa de Valêncio

Valêncio Xavier voltou eufórico de Porto Alegre. Além de uma ativa participação no II Fórum de Museus da Imagem e do Som e Entidades Assemelhadas, na qual propôs inclusive a criação de uma associação nacional (e de cuja presidência abriu mão), aproveitou para acertar com a editora Sulina a edição de suas obras completas.

Arte de cuidar de gatos neste Natal

O Círculo do Livro não poderia fazer uma edição mais apropriada neste mês: "O gato que veio para o Natal", de Cleveland Amory - sucesso nos EUA e cuja primeira edição no Brasil (pela Nórdica) teve também ótima repercussão.

A noite de Charles Degula

Quando o secretário Renê Dotti, da Cultura, subiu ao palco do Clube Concórdia, na noite de quarta-feira, 20, e enalteceu Charles Degula, não só como "uma pessoa cuja sensibilidade sabe os caminhos do paladar mas também da criação artística" estava certo. Afinal, se Charles Degula é, há dois anos, o conhecido gourmet que dominicalmente fala das delícias da cozinha em suas páginas coloridas deste "Almanaque", Alexandre Krasinski, 44 anos, como bom filho de eslavos, sempre foi um apreciador da música erudita.

No campo de batalha

A vereadora Rosa Maria Chiamulera, que apesar de ser pedetista, nunca escondeu sua paixão collorida, sorrindo muito: além da vitória de Collor de Mello, está tendo as emoções de ser mãe - "mesmo que postiça". É que adotou há 90 dias um garotão, Rafael Valentim, que a está obrigando a reduzir sua intensa vida social - especialmente nas circuladas noturnas. Mas quarta-feira conseguiu uma boa babá para o filho e foi ao jantar de Charles Degula. xxx

O Abismo, suspense até debaixo d'água

Entre viagens pelo tempo e fantasmas novaiorquinos, a temporada natalina de cinema traz também suspense até debaixo d'água: "O Segredo do Abismo" desce às profundezas do escuro (e não azul) oceano numa aventura que há meses já vem fazendo boa carreira nas telas americanas e européias e, agora, chega em lançamento nacional.

Mensagens de poesia & otimismo

Reflexo dos tempos bicudos, foi-se a época dos luxuosos cartões de Boas Festas. Generosas cestas-de-natal e presentes - como bebidas importadas - nem pensar! A não ser para pessoas jurídicas com endereço determinado por interesses das caixas registradoras e não dos corações - como seria de se esperar no Natal.

Amélia e Clara, revelações veteranas para a nossa MPB

É sempre um risco apontar um(a) intérprete como revelação do ano quando, na verdade, este artista, em inúmeros casos, vem há anos batalhando pelo seu espaço. É o caso de Amélia Rabello, que estará em nossa edição dos melhores de 1989 como revelação do ano, mas que, na verdade, é uma estreante-veterana. Chegou agora ao seu primeiro elepê como solista (Velas/Polygram), mas com a esperiência, a bagagem e o rigor técnico de uma veterana. E não por acaso!

Alcione e Joanna cantam para seus públicos fiéis

Duas cantoras de público seguro, que mesmo com repertórios óbvios garantem boas vendagens: Alcione ("Simplesmente Marrom") e Joanna, ambas em lançamento da Barclay/Ariola (ex-RCA). Cada uma a sua maneira, explorando a sensualidade e com músicas condicionadas a um romantismo pré-fabricado, possuem uma certa luminosidade própria. Paulo Massadas e Michael Sullivan estão presentes nos repertórios das duas intérpretes: com a já conhecida "Nem morta" ou "Estranha loucura" no elepê de Alcione; com "Quem viver verá" e "Olho por olho" no disco de Joanna.

Advogada de Curitiba vai sustar as filmagens da vida Chico Mendes

Na semana em que foi lembrado o primeiro ano do assassinato do líder sindical e ecologista Chico Mendes - ocorrido no entardecer de 22 de dezembro de 1988, em Xapuri, Estado do Acre - e quando os produtores Joffre e Nelson Rodrigues Filho anunciam que estarão iniciando as filmagens de sua cinebiografia nas próximas semanas, a novela que envolve os direitos de levar à tela a sua vida está longe de ter um happy end.

Os milhões de dólares de um projeto internacional

São bem mais profundos os interesses que envolvem a questão Chico Mendes do que uma aparente briga familiar, envolvendo duas mulheres que com ele viveram (e tiveram filhos). Também ao lado efervescente da questão política, no qual se cruzam acusações de líderes do PT, religiosos da Pastoral da Terra e UDR - há o envolvimento de milhões de dólares que poderão render a exploração da vida e morte do líder ambientalista que filmes, vídeos, livros e outros produtos de consumo da indústria cultural-ecológica.

Uma sacudida necessária para melhorar administração Lerner

Se as reformas no âmbito federal só começarão no dia 16 de março, em termos municipais é bem possível que nos primeiros dias de janeiro o prefeito Jaime Lerner se decida a proceder algumas modificações em sua equipe e, especialmente, numa indispensável sacudida administrativa.

No campo de batalha

Uma efeméride que deveria ser festiva mas que se torna melancólica: a maioridade do Teatro do Paiol. Inaugurado há exatamente 18 anos, com o show "Encontro" reunindo Vinícius de Moraes (que, então, veio pela primeira vez a Curitiba), Toquinho, Marília Medalha e o Trio Mocotó, o Paiol teve grandes momentos e enfrentou muitas crises. Em 1989 - apesar da simpatia com que Jaime Lerner sempre o viu (afinal foi sua melhor obra na área cultural durante a primeira gestão) - praticamente não funcionou. Agora está fechado, desde stembro, para reformas.

Os grandes momentos musicais do FestRio

Embora, ao menos a curto prazo, inexistam propostas para comercialização dos vídeos (e programas de televisão) levados ao VI Festival Internacional de Cinema, Vídeo e Televisão (Fortaleza, 23 de novembro a 2 de dezembro), entre as 160 horas de atrativos programas apresentados nestas bitolas há material da melhor qualidade - e que poderia ser comercializado tanto em vídeos, pelas locadoras, como para emissões nas estações de televisão.

Marlos homenageia Cecília Meireles em sua nova obra

Assumindo pela segunda vez a presidência da Pró-Música, entidade da qual foi uma das fundadoras em 4 de abril de 1962, a pianista Maria Leonor Mello tem muitos e belos projetos.
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br