Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1990 - Agosto)

Memórias de dona Irene nos 50 anos de Serviço Social

Durante muitos anos a professora Irene Augusta Teixeira de Freitas, fundadora da Escola de Serviço Social do Paraná tinha um segredo: pouquíssimas pessoas sabiam que ela era religiosa, pertencente a Sociedade das Filhas do Coração de Jesus de Maria. Organização religiosa de origens da época da Revolução Francesa, uma das características desta congregação é a de dispensar suas integrantes do uso de hábitos religiosos.

Tributo a Zé Maria, o grande homem do teatro

José Maria Santos não morreu. Oito meses após aquele trágico 4 de janeiro que, tão tristemente, marcou o início do ano, quando o mais estimado profissional de nossos homens de teatro foi sepultado no Jardim da Saudade, seus amigos e discípulos reúnem-se neste sábado, para lembrá-lo em seus grandes momentos artísticos e, principalmente, promover uma grande manifestação para que o seu nome seja, definitivamente, dado ao teatro que idealizou e construiu na Rua 13 de Maio.

No campo de batalha

Com o tema "Curitiba em Julho", o Museu da Imagem e do Som abre nesta sexta-feira uma mostra de 60 fotos dos alunos que fizeram curso com Geraldo Magella, além de uma secção de trabalhos de fotógrafos convidados, entre os quais Tiomkin (Osval Siqueira Filho), Guto Andrade, Antônio D'Alves e Pitela. Na abertura da exposição, uma performance de Edilson Viaro, com o título "Uma Canção para os Náufragos". xxx

Jorge, agora na cadeira do júri

No XVII Festival do Cinema Brasileiro de Gramado (maio/1989), a maior sensação foi "Ilha das Flores", de Jorge Furtado, cineasta que anteriormente já havia mostrado seu talento em "O Dia em que Dorival Enfrentou a Guarda" (exibido por semanas nos cinemas da Fucucu, em Curitiba, como complemento) e "Barbosa".

No campo de batalha

Fernando Sabino, que na semana passada veio a Curitiba para falar sobre Vinícius de Moraes, de quem foi um dos maiores amigos, já escolheu o título de seu novo livro de crônicas e textos avulsos: "Volta por Cima". Não é homenagem ao mais conhecido samba do paulista Paulo Vanzolini: "Depois de "Pernas para o Ar", tinha que sair o "Volta por Cima", diz, em sua irreverência mineira. Já um novo romance, que havia programado para 1990, ficou adiado: "é trabalho que exige mais fôlego e preparo físico", justifica. xxx

Curitibano Radu na comédia americana

Quem assistir a comédia "Um Dia a Casa Cai" (Lido II, 20 e 21:45 horas, a disposição também em vídeo da CIC), preste bem atenção numa das primeiras seqüências, quando dois carregadores fazem uma mudança para o casal William Fielding (Tom Hanks) e Anna Crowley (Shelley Long) e transportam uma pesada peça: um deles, alto, bonitão, ganha inclusive um close. É uma presença rapidíssima, que nem teria maior destaque se não fosse um detalhe: o jovem ator é um curitibano adotivo, embora já quase 20 anos morando nos Estados Unidos.

As opções nas telas

O romantismo erótico ao estilo de "9 ½ Semanas de Amor", de "Uma Linda Mulher" (Cine Astor, 5 sessões), venceu o marketing de "Dick Tracy": enquanto apenas 6.369 espectadores foram, na primeira semana, assistir a colorida transposição que Warren Beatty fez do herói das HQs para o mais badalado filme do ano, nos Cines São João (2.375 espectadores) e Bristol, "Pretty Woman", de Garry Marshall, com Richard Gere e Julia Roberts (a revelação de "Magnólias em Flor"), teve 7.070 espectadores - o que considerando a capacidade do Astor (500 lugares) dá uma média que garantirá sua permanência

Os 90 anos de dona Pompília, a mestre de várias gerações

Comemorar 90 anos já é um fato pouco comum ao ser humano. Mas ter a benção de se tornar nonagenária com a maior lucidez, boa saúde, cercada de descendentes, estimadíssima pela comunidade e, olhando ao passado, poder recordar desde a primeira infância, é uma graça que Deus só concede a seres iluminados e privilegiados. A professora Pompília Lopes dos Santos é um deles. Na próxima terça-feira, estará comemorando seus 90 anos.

Os anos dourados da Normalista

Falando de sua vida, familiares, amigos, das alegrias - e naturalmente preocupações e momentos de tristeza - dona Pompília impregna suas memórias, ainda em elaboração, de um calor humano, de uma ternura especial. Na delicadeza de sentimentos, lembra os vários momentos de sua infância e adolescência, e os primeiros anos de sua vida de esposa e mãe, ao lado do amigo e companheiro Dario, e de seus filhos - hoje netos e bisnetos - aguardando o primeiro tataraneto, ainda sem previsão de chegar.

Uma orquestra de cordas para a nossa melhor MPB

Bandolins, cavaquinhos, violas-caipiras, violões de seis e sete cordas, contrabaixo e percussões formam a Orquestra de Cordas Brasileiras que estão com o primeiro elepê nas lojas, tocando de Bach a Paulinho da Viola, de Jacob do Bandolim a Villa-Lobos, de Radamés a Nazareth. A orquestra criada há 4 anos e com uma carreira de ótimas realizações, é formada por 14 virtuoses em instrumentos populares, organizados no palco com uma formação de orquestra de câmara clássica, como afirma um de seus líderes, o cavaquinista e arranjador Henrique Cazes.

O grande encontro de Senise e Peranzetta

Há algumas semanas, registramos em nossa coluna "Tablóide", o entusiasmo com que Mauro Senise, após o concerto que havia apresentado no Paiol, ao lado de seus companheiros do Cama de Gato, nos falava de seu novo álbum, "Uma Parte de Nós", que havia gravado com outro virtuose, o tecladista Gilson Peranzetta, arranjador, compositor, que finalmente vem tendo seu talento devidamente reconhecido, fazendo gravações solo ou dividindo afetuosos álbuns com músicos da dimensão do violonista Sebastião Tapajós (com quem há 2 semanas, apresentou um belíssimo concerto durante o X Festival de Música de L

O melhor choro com a Kuarup

Apesar do fim dos patrocínios estimulados pela Lei Sarney, Mário de Aratanha e Janine Houard, que vem formando um dos melhores acervos da música instrumental brasileira através da esmerada Kuarup Produções não param de trabalhar.

David Carneiro, o que construiu o Cine Ópera

Nos necrológicos que a morte do professor David Carneiro, 86 anos - que havia completado a 29 de março, mereceu nas edições dominicais da imprensa, um aspecto foi esquecido: o seu lado de empresário cinematográfico e também cinéfilo, paixão que o fez sempre ser um dos mais regulares espectadores - e que só interrompeu devido a idade e às sucessivas enfermidades que sofreu.

Qual será o destino de sua biblioteca?

Com a morte do professor David Carneiro, foi sepultado também o último dos historiados de uma geração de paranaenses que, sem formação acadêmica em História, mas com o maior amor, entusiasmo e dedicação deram uma imensa contribuição ao nosso Estado.

Hermínio garante o retorno da Camerata

Do Rio de Janeiro, Hermínio Bello de Carvalho, este incansável garimpeiro e animador cultural, a quem se deve o melhor trabalho em favor da música popular que desenvolveu em uma década da extinta FUNARTE, envia boas notícias - para compensar outras, nem tantas - inclusive sua injustíssima demissão da TV Educativa, onde produzia e apresentava um dos melhores programas já feitos no Brasil ("Água Viva").

No campo de batalha

Devido a um erro de digitação, a abertura do Cine Ópera foi "atrasada" em 6 anos, conforme registro em nossa coluna de ontem: o luxuoso cinema na Avenida João Pessoa (hoje Luiz Xavier), no térreo do edifício Eloísa - construído pelo professor David Carneiro no final dos anos 30 - foi aberto em julho de 1941 (e não em 1947, como saiu) com o filme "Tudo Isto e o Céu Também" (All This and Heaven Too), que o russo mas radicado nos EUA, a partir de 1936) Anatole Litvak (1902-1975) realizou há 50 anos, com Bette Davis (1908-1989) no auge de sua carreira. xxx

No campo de batalha

Após algumas semanas na Europa, visitando museus, assistindo bons espetáculos e, principalmente reabastecendo forças para enfrentar o desgastante dia a dia como Secretário do Desenvolvimento Urbano, retornou o arquiteto Manoel Coelho, também professor da Universidade Federal do Paraná. xxx

A "Linha do Trabalho" que Jaime vai iniciar

Livrando-se, pouco a pouco, dos encargos desgastantes no lamaçal político - que até agora mais o prejudicaram do que o auxiliaram em sua vida de homem público - o arquiteto Jaime Lerner está procurando fazer aquilo que comprovou, até internacionalmente, sua competência: a de planejador e administrador urbano.

Moisés pergunta: por que matam os índios?

O médico Moisés Paciornick, 75 anos, completados em 4 de outubro, é daquelas pessoas que identificam Curitiba. Com uma extrema juventude, fazendo da inseparável gravata-borboleta parte indissociável de seu lay out de elegância, 52 anos de total dedicação à medicina - que continua a exercer com a maior dedicação, ao lado da sempre elegante dona Helena, é uma presença sempre destacada em eventos culturais, sociais e filantrópicos.

No campo de batalha

Edson França Bueno não pode se queixar da falta de mecenato oficial: recebeu Cr$ 200 mil para dirigir "New York por Will Eisner". Agora, é aguardar o resultado, pois a adaptação de personagens de quadrinhos para o palco é sempre arriscado - e até na Broadway tentativas feitas com clássicos como "Ferdinando" e "Popeye" fracassaram. No cinema, os efeitos especiais e super-recursos fizeram de "Batman" e "Dick Tracy" ganhar muito marketing promocional. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br