Login do usuário

Aramis

Artigos por data (1990 - Novembro)

Hoje é dia de ouvir jazz com Mulligan

Infelizmente parece que o Blue Note Jazz Club morreu. Há meses não se ouve falar em suas jam sessions e os próprios músicos que, no início, mostravam-se animados, hoje são pessimistas. Público, entretanto, continua a existir, pois neste final de ano a Polygram está lançando em CD excelentes gravações com Charlie Parker e outros gênios do instrumento e, há dez dias no Brasil, um dos nomes mais valorizados da linha West Coast - Gerry (Gerald Joseph) Milligan (Nova York, 6/4/1927) faz uma excursão que inclui, hoje à noite, uma única apresentação no auditório Bento Munhoz da Rocha Neto.

No campo de batalha

"As Bruxas de Salém" precisa de ajuda do além para enfrentar a concorrência no grande auditório nesta semana: na terça-feira, dia da estréia da peça de Arthur Penn, o guitarrista Paco de Lucia, que parece ter pacto com o demônio para ser tão genial em seu instrumento, fazia sua única apresentação; ontem foi o sax igualmente diabolicamente atraente de Gerry Mulligan no mesmo auditório.

Maringá faz seu festival de vídeo

Primeira tentativa de fixar uma mostra de vídeo competitiva no Paraná - o que já acontece com atraso em relação a outros Estados - o Fest Vídeo - Festival Nacional de Vídeo, iniciado na segunda-feira, 26, em Maringá, e que ganha maior destaque neste fim de semana, veio provar a timidez dos videomakers dos Estado: apenas quatro trabalhos de realizadores paranaenses foram selecionados para disputarem as premiações - no valor total de Cr$ 500 mil - nas categorias de ficção e documentário.

A batalha cultural

Embora jure que não quer nem ouvir falar em formação de seu secretariado, o governador eleito Roberto Requião não pode evitar especulações. Para a Secretaria da Cultura, há dois nomes em alta: a professora Maria Cristina Vieira, presidente da Fundação Avelino Vieira, diretora do grupo Bamerindus, e primeira vice-presidente da Associação Comercial, e a arquiteta Jussara Valentim, que foi diretora administrativa da Fundação Cultural na gestão de Requião.

Municípios às mancheias!

Eis uma questão para derrubar 99% dos vestibulandos se entrasse nas próximas provas: quantos municípios tem o Paraná? Hoje, depois do festival de leis que retalharam todo o Estado com dezenas de novos municípios, nem os políticos mais afinados com o Interior são capazes de responder. E só nas edições de 1992/93 é que os novos municípios criados - a maioria por interesses políticos - estarão registrados nos mapas cartográficos. Uma bela reportagem seria visitar as vilas e lugarejos que agora passam a sediar municípios e calcular o quanto se gastará para criar tantos novos municípios.

Viajantes, viageiros...

Como faz todos os anos, o prefeito Jaime Lerner deixa Curitiba na época de Natal e Ano Novo. Desta vez, vai a Paris, passando antes em Washington e Nova York, onde reside sua filha, Andrea, agora cidadã americana, pois casou-se com um fotógrafo novaiorquino. xxx Quem também já está preparando um longo roteiro de viagem internacional é o deputado Rafael Greca de Macedo. Como faz todos os anos, o deputado pedetista programas os meses de janeiro a março para passear por vários países. Antes, porém, faz a sua grande festa na Fazenda São Rafael. xxx

A vanguarda do vídeo que se faz no mundo

Repetiu-se no IV RioCine Festival, o problema que sempre existiu na parte de vídeo das seis edições do FestRio: multiplicidade de opções. Assim como Hamilton Costa Pinto, coordenador nos FestRio, sempre procurou dar uma amostragem internacional do que se cria nesta nova área - somada às produções competitivas, em disputa, também o RioCine foi generoso em sua programação.

No campo de batalha

Na exibição de "Lápis de Cor e Salteado", de Nivaldo Lopes, no penúltimo dia do RioCine Festival, gente que conheceu muito bem o compositor Palmilor Rodrigues Ferreira (1943-1979) apareceu para se emocionar com as imagens do filme de Palito: sua ex-mulher Melba e o jornalista Jorge Segundo, autor da reportagem sobre a morte do pai-de-santo Joãozinho Goumeia, que publicada na revista "Manchete", inspirou a Lápis compor "Funeral para um Rei Negro", um de seus sambas mais conhecidos. Emanoel Cavalcanti, ator alagoano, estava na platéia e aplaudiu. xxx
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br