Login do usuário

Aramis
Conteúdo sindicalizado RSS Cine Condor

Cine Condor

"Morrer de Novo" e "Príncipe das Marés", os melhores lançamentos

Seis estréias ajudam a curar a ressaca carnavalesca e estimulam a freqüência aos cinemas. Desde quarta-feira de Cinzas, está em exibição O PRÍNCIPE DAS MARÉS (Prince of the Tides), a nova tentativa de Barbra Streissand em provar que não é apenas (excelente) cantora e atriz. Fez um filme denso, profundo e envolvente sobre as relações de um psiquiatra (ela própria) e um interiorano (Nick Nolte, elogiadíssimo e um dos favoritos ao Oscar) que a procura em Nova York em busca de solução para os problemas de sua irmã que tentou suicídio.

Bugsy e Misery, estréias com peso de Oscar

Sorrisos dentifrícios nos exibidores com a temporada dos filmes oscarizáveis. Depois de "JFK- A Pergunta Que Não Quer Calar" de Oliver Stone (8 indicações, Cinema I) e "O Príncipe das Marés" de Barbra Streissand (7 indicações, Cine Bristol), chega o supercampeão das nominations: "Bugsy", de Barry Levinson, 10 indicações e garantia de muitas semanas lotadas no Cine Plaza onde estréia amanhã.

No campo de batalha

Nativista apaixonado, estudioso da cultura regional e vendo a necessidade do Sul ter maior valorização junto a Federação, o advogado Joaquim Tramujas Neto, 43 anos - comemorados festivamente no último dia 27, uniu-se ao empresário Waldomiro Trombini para a confecção de três mil "T-shirts" com a inscrição "O Sul é Meu País", em cores verdes, que estão sendo procuradíssimas por adeptos de formações de uma nova região administrativa no País.

Lee faz o filme certo para discutir racismo

"Algumas pessoas se viciam nas coisas mais estranhas Que nada tem a ver com a vida Deus nos deu vida e o que damos a Ele? Se não é nosso amor, o que será" ("Amor Químico", música-tema de Stewie Wonder / Stephanie Andrews, em "Febre na Selva"). A seqüência de abertura de "Febre na Selva" (Cine Condor) lembra o início de "Faça a Coisa Certa": num bairro negro (Harlem), começa uma nova manhã, marcada pelo jornaleiro atirando um exemplar do "The New York Times". Em seu apartamento, um casal faz amor tão apaixonado que acorda a filha.

Sexo & letras quando Paris era uma festa

É sempre bom lembrar aos que esqueceram - e contar a maioria que desconhece - que foi um jornalista curitibano que tornou possível, no início dos anos 60, que uma geração de brasileiros se extasiasse (e se masturbasse) com a leitura de um dos clássicos da literatura maldita contemporânea: "Trópico de Câncer".

"Césio 137" é ainda o melhor filme

Uma semana praticamente sem estréias - considerando que "Maniac Cop, o Exterminador", de William Lusting (Cine São João), destinados a programação "b" é daquelas produções caça-níqueis e as reprises de "Leão Branco - O Lutador sem Lei" (Palace Itália) e "Além da Eternidade" (Always), de Steven Spielberg, não têm maior atração. O filme de Steven Spielberg, com Richard Dreyffus, John Goodnis, desde a semana passada no Lido II é a refilmagem de um melodioso sucesso dos anos 40 - mas que neste "revival" mesmo com toda a competência do "golden boy" do cinema americano fracassou.

Hamlet de Zefirelli e leitora particular são as boas estréias

São cinco as estréias do circuito, com ao menos duas atrações especiais: "Hamlet", na versão de Franco Zefirelli (Itália) e "Uma Leitora Bem Particular", de Michel Deville (Luz). Para quem gosta do gênero, "A Profecia IV: O Despertar", desta vez com a direção dividida entre Jorge Montesi e Dominique Othenin Girard e um elenco de nomes desconhecidos.

Coisas do coração na visão do sueco Lasse

Em "Minha Vida de Cachorro" (1987), o sueco Lasse Hallstrom tocava corações pela ternura com que partindo de uma história simples, ambientada numa pequena aldeia, se fazia universal - confirmando velha lição do mestre Leon Tolstói ("Se queres ser universal cante a sua aldeia"). Três anos depois, Hallstrom realizou seu primeiro filme nos Estados Unidos.

Sadam Hussein, o Dom Corleone do Oriente

Se não tivesse mergulhado meio mundo numa terrível guerra neste início de ano, o ditador Sadam Hussein, do Iraque, teria sido um dos primeiros privilegiados espectadores da antiga sala de projeção de seu palácio em Bagdá a assistir um filme que estreou nos Estados Unidos há 120 dias e que agora é um dos favoritos na corrida aos Oscars, no próximo dia 25: "O Poderoso Chefão III" (estréia nacional dia 15; em Curitiba, Cine Condor).
© 1996-2016. tabloide digital - 35 anos de jornalismo sob a ótica de Aramis Millarch - Todos os direitos reservados.
Desenvolvido por Altermedia.com.br